LOGIN
ASSOCIE-SE!
Apoie nossa missão e colabore para que possamos perseverar como instituição autossustentável.

PROGRAMAÇÃO

EVENTOS
Apresentação de Danças Orientais
com alunos e professores
De 04/12 a 04/12 - 16h às 22h.
Ver histórico completo
PALESTRAS
Ainda não existem próximos eventos nesta area.
Ver histórico completo
FÓRUNS
Ainda não existem próximos eventos nesta area.
Ver histórico completo
CINEMA E DEBATE
Ainda não existem próximos eventos nesta area.
Ver histórico completo
SARAUS
Ainda não existem próximos eventos nesta area.
Ver histórico completo
CINEMA E DEBATE
ENCONTROS E DESENCONTROS DO AMOR NO CINEMA GREGO
Exibição de filmes e palestras na Oficina Cultural Oswald de Andrade
De 22/10/22 a 12/11/22 - 16h (exceto dia 12/11).

A Mostra traz 4 obras que narram histórias de amor e amizade em meio à situações adversas e desesperadoras. Amores e amizades que às vezes nem estão lá para durar, mas que mudam vidas e revelam afinidades inesperadas. De longe, somos tão diferentes, mas por que ficamos parecidos quando nos apaixonamos? Por que aprendemos tanto com um novo e inesperado amigo?


Mediadora: Su Stathopoulos

Palestrantes: Táki Cordás / Vassiliki Constantinidou / Stylianos Tsirákis / Silvia Ricardino e Marisa Ribeiro Donatiello

 

Evento gratuito na Oficina Cultural Oswald de Andrade - link
Sábados, de 22 de outubro a 12 de novembro
Dias 22 e 29/10, 05/11, início às 16h
Dia 12/11, início às 15h

30 vagas
 


Programação:

 

Dia 22/10, às 16h

Domingo Nublado (125’)

 

Palestrante: Táki Cordás

Em Domingo Nublado (Cloudy Sunday/Ouzeri Tsitsanis, 2015), de Manousos Manousaki, inspirado no livro homônimo de Giorgos Sakmpardonisa, conta-se a história de amor entre Samaras, um rapaz cristão ortodoxo, e Estrea, uma moça judia. Ambos se encontram durante a Segunda Guerra, em plena ocupação nazista de Tessalônica, cidade grega que abrigava uma grande colônia sefaradita e por isso era chamada de “Jerusalém dos Balcãs”. Os dois jovens lutam para superar o preconceito e o medo, à medida que aumentam as brutalidades contra a comunidade judaica.

 

Dia 29/10, às 16h

Noivas (128’)

 

Palestrante: Vassiliki Constantinidou

Noivas (Nyfes/Νύφες, 2004), de Pantelis Voulgaris, é um filme baseado em fatos reais. Em 1922, 700 mulheres gregas embarcam em Constantinopla rumo aos EUA, onde devem selar matrimônios pré-arranjados com compatriotas imigrados, muitos deles só conhecidos por fotos. Durante a travessia, é revelada uma avalanche de sentimentos. Misturam-se desejo, medo, angústia, sofrimento e esperança. O filme é um retrato da mulher na Anatólia ao início do século XX. A paixão vivenciada pelos protagonistas, Niki e Norman, oculta questionamentos de honra e compromisso. Entre véus e grinaldas, alegrias e segredos, o drama desse e dos demais casais trazem à luz a eterna busca da felicidade.

 

Dia 05/11, às 16h

Mundos Opostos (113’)

 

Palestrante: Stylianos Tsirákis

“Os gregos antigos perceberam o poder do amor e fizeram dele um deus. Deus Eros. Por causa dele, guerras foram travadas. Muitas vidas foram perdidas. Mundos mudaram. Tudo porque ninguém jamais poderia dominar o seu poder”. Numa Grécia assolada pela crise socioeconômica e desorientada pelas ondas migratórias, mas ainda conectada aos seus deuses, em especial Eros, o filme Mundos Opostos (Enas Allos Kosmos/Worlds Apart, 2015), de Christopher Papakaliatis, entremeia diferentes histórias de amor. A universitária Daphne é salva de um estupro pelo imigrante ilegal sírio Farris, e desse incidente nasce uma paixão. O executivo Giorgios enfrenta a dissolução da firma em que trabalha, ao mesmo tempo que tem um affair extraconjugal com Elise, uma consultora empresarial sueca. Num supermercado, o historiador aposentado Sebastian, recém emigrado da Alemanha, tenta se comunicar com Maria, uma senhora grega, o que faz surgir uma inusitada conexão entre ambos. Três histórias, muitos caminhos, a mesma busca.

 

Dia 12/11, às 15h

Zorba, o Grego (142’)

 

Palestrantes: Silvia Ricardino e Marisa Ribeiro Donatiello

Evento de encerramento: Apresentação de danças gregas do grupo Zorbás

O romance Vida e Proezas de Aléxis Zorbás, de Nikos Kazantzákis, foi escrito na Grécia durante a Segunda Guerra Mundial, em plena ocupação nazista. O escritor, confinado na ilha de Egina, chega a passar fome e, não obstante, elabora um verdadeiro tratado de consagração à amizade, amor à vida e destemor diante da morte. O filme Zorba, o grego (Zorba, the Greek/Αλέξης Ζορμπάς, 1964), de Kakoyiánnis, embora se ocupando parcialmente do romance, transpôs para a tela os mesmos sentimentos, em rara e amorosa sintonia. Um clássico da cinematografia de todos os tempos.


Sobre os palestrantes:

 

Su Stathopoulos (mediadora) —

Paulistana de origem grega. Aluna especial do doutorado, na disciplina: Teoria, Historiografia e Pensamento Econômico na América Latina, Prolam - Programa de Pós-Graduação Integração da América Latina - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (2021). Mestre, pelo Programa de Mestrado em Comunicação pela Universidade Paulista.  

Bacharelado em História, Universidade do Sagrado Coração - Professora universitária na Universidade Paulista, nos cursos de Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Propaganda e Marketing, nas disciplinas: Fotografia, História da Arte e Cultura Brasileira Contemporânea.

É freelancer em fotojornalismo na ANBIMA e convidada para assistência do fotojornalista João Roberto Ripper, em viagem a Matias Cardoso, MG.

 

Prof. Dr. Táki Athanássios Cordás —

Coordenador da Assistência Clínica do Instituto de Psiquiatria do HCFMUSP. Coordenador do Programa de Transtornos Alimentares ( AMBULIM) do IPQ-HCFMUSP. Prof. dos Programas de Pós-Graduação do Departamento de Psiquiatria da USP, do Programa de Neurociências e Comportamento do Instituto de Psicologia da USP e do Programa de Fisiopatologia Experimental da FMUSP. Pós-graduação em Filosofia pela PUCRS.

 

Vassiliki Constantinidou —

Jornalista, autora dos livros “Argonautas do Cerrado – Memória e História da Comunidade Grega de Brasília” (livro bilíngue grego/português 2016); “Os Guardiões das Lembranças – Memória e História dos Imigrantes Gregos no Brasil ( livro bilíngue grego/português 2009); “A doçura da terra – histórias e Lembranças de Antônio Pavan e Noemia Foltran Pavan” (biografia familiar -2006). É membro fundador e do Conselho Deliberativo do Arete – Centro de Estudos Helênicos. Foi Representante do Brasil no LEA - 6o Festival Ibero-americano de Literatura em Atenas (2014). Idealizadora e curadora das Exposições: 1. “Pelas Águas do Guaporé – Gregos na Amazônia” Exposição Itinerante: Atenas, Creta, Lesvos e Rodes. (2014). 2. “Noivas” – (2008) No Centro Kaváfis de Cultura Helênica e na Coletividade de SP. 3. “Nossas Mulheres de Atenas” (2007) – No Conjunto Nacional (capital paulista) e em Sorocaba. Participou da equipe executiva do “Almanak da Idade de Pensar” (agenda editada em 1993). Membro do Conselho Internacional das Mulheres Imigrantes Gregas – 1987.

 

Stylianos Tsirákis —

Arquiteto pela FAU USP, fundador e editor, desde 1.999, da Odysseus Editora. Membro fundador da Areté, Centro de Estudos Helênicos e do seu Núcleo de Mitologia. Autor do livro Uma viagem à Grécia, a origem dos Jogos Olímpicos e os deuses, Odysseus editora. Tem ministrado cursos e coordenando grupos de estudo sobre: Ciclo Épico, a ilíada e a Odisseia; Os trabalhos e os dias; As gêneses e os feitos dos heróis: Perseu, Hércules, Jasão e Teseu; O ciclo troiano e os retornos; O ciclo tebano e as cinco tragédias (Édipo Rei, Édipo em Colono, Antígona, Sete contra Tebas e As bacantes); Os deuses do Olimpo.

 

Silvia Ricardino —

Nasceu em São Paulo, onde se graduou em Direito (USP), Piano e Harpa (Faculdade de Música Carlos Gomes) e realizou estudos de grego antigo e moderno. Aperfeiçoou-se em Paris com a harpista e compositora Annie Challan. De volta ao Brasil consagrou-se à prática musical e a seu ensino, tendo sido professora de História da Música (Faculdade Carlos Gomes), professora de Harpa (Escola Municipal de Música) e harpista da Orquestra Sinfônica Municipal. Intérprete de harpa de concerto, harpa celta e harpa medieval, desenvolve um trabalho camerístico estável com o Grupo ANIMA, onde se dedica notadamente à pesquisa e interpretação de música antiga e música de tradição oral. É membro da Sociedade Internacional de Amigos de Nikos Kazantzákis-São Paulo, neste âmbito tendo apresentado diversos trabalhos sobre o escritor. Dele traduziu para o português, em 2011, “Vida e Proezas de Aléxis Zorbás” (em conjunto com Marisa Ribeiro Donatiello). Seguiram-se a este primeiro livro suas traduções individuais de “O Capitão Mihális” (2013) e “Ascese” (2017), todas publicadas pela Editora Grua de São Paulo.

 

Marisa Ribeiro Donatiello —

Possui graduação em Filosofia pela Universidade de São Paulo. Licenciatura em Letras (Português e Grego) e mestrado em Letras Clássicas (Grego) pela Universidade de São Paulo. Atuou como professora no ensino secundário da rede estadual de São Paulo. Realizou cursos de língua grega moderna na Universidade de São Paulo e na Universidade de Tessalônica (Grécia). Membro-fundadora da Sociedade Internacional dos Amigos de Nikos Kazantzákis, seção São Paulo/Brasil desde 2003. Tradutora de Vida e Proezas de Aléxis Zorbás (2011) em parceria com Silvia Ricardino. Tradutora de A Última Tentação, ambos de autoria de Nikos Kazantzákis (2015).

_

contato

Areté - Centro de Estudos Helênicos 

e-mail: secretaria@arete.org.br

whatsapp: https://bit.ly/WhatsappAreté

tel: (11) 3032-3939  | (11) 97113-0660 



Núcleo: Cinema
ENTRE EM CONTATO

Copyright © 2011 - All Rights Reserved - Areté - Centro de Estudos Helênicos

Rua dos Macunis, 495 - Vila Madalena - São Paulo - SP - Brasil 05444-001

Tel: (11) 3032-3939 (Segunda a Sexta das 13:30h às 20:30h e Sábado das 09:00h às 14:00h)

E-mail: secretaria@arete.org.br | Whatsapp (11) 97113-0660